quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Cidade de Luminárias (Sul de Minas)

História

A prefeitura de Luminárias contratou uma historiadora para documentar o início da formação populacional na região de Luminárias e sua importância no contexto da Estrada Real. Assim, diversos acontecimentos de relevância histórica foram trazidos à luz, entre eles as passagens dos naturalistas Spix e Von Martius por essas terras, mais precisamente na Capela de Santo Antônio, na Fazenda Fazendinha e na Serra da Pedra Branca na divisa de Luminárias com Ingaí. A partir destes estudos, comprovou-se que o início dos pequenos grupos populacionais da região se deram antes de 1750 , como comprovação podemos citar a Fazenda dos Monjolos, situada a 5Km da cidade, que existe até hoje e foi encontrada em citações de documentos de 1750. Os dois austríacos, Spix e Von Martius, chegaram ao Brasil em 1817 para as núpcias da Arquiduquesa da Áustria com o Príncipe D. Pedro e entraram na história luminarense, pois detalharam a passagem que fizeram por estas bandas.

Conta-se que Luminárias recebeu essa denominação em virtude de sua proximidade com a Serra das Luminárias, que segundo contam os mais antigos, apareciam pontos luminosos nessa serra, de origem desconhecida até hoje. Alguns dizem que eram pedras preciosas que reluziam na serra, outros que eram as águas que batiam nas pedras e refletiam e tem até mesmo os que supõem que fossem OVNIs.(http://www.serqueira.com.br/mapas/lumin.htm - Mapas Antigos, Histórias Curiosas - Celso Serqueira)

O fenômeno era conhecido desde tempos remotos, pois relatos ouvidos de índios que habitavam a região bem antes da chegada dos colonizadores, em meados dos anos 1600, consideravam as luzes como uma manifestação sobrenatural. Nativos, colonizadores, bandeirantes, milhares de tropeiros, fazendeiros e os moradores da cidade - todos testemunharam, no passar dos séculos, as mesmas estranhas luzes brilharem e se movimentarem no alto da serra durante quase toda a noite. À falta de melhor definição para aqueles fortes pontos brilhantes, os primeiros colonos diziam que "pareciam luminárias" e por isto as montanhas ficaram conhecidas como Serra das Luminárias. Quase dois séculos depois, em 1798, o povoado invocou a proteção de Nossa Senhora do Carmo, adotando o nome de Carmo das Luminárias e depois simplesmente Luminárias, como é chamada até hoje.
A cidade de Luminárias provavelmente é o caso mais antigo (séc. 16) de relatos de aparição de OVNIs no Brasil e talvez a única cidade do mundo que deve seu nome a eles.

Outra versão que existe para explicar o nome de Luminárias está ligada a festas e comemorações, mas que nao tem a mesma força entre a população, é a de que uma antiga moradora, Dona Maria José do Espírito, costumava realizar muitas festas religiosas e as mesmas eram iluminadas por luminárias feitas de papel, o que atraía a atenção de moradores de toda a região. Conta-se que as luminárias também eram utilizadas para iluminar os caminhos por onde passavam as procissões que aconteciam a noite.

A formação do núcleo populacional deu-se a partir da construção de uma pequena capela, conhecida como Igreja Velha, por Dona Maria José do Espírito em 1798, onde celebravam-se ofícios religiosos para sua família e circunvizinhança. Posteriormente, Francisco da Silva Pinto doou uma parte de um terreno próximo a capela para a construção do patrimônio da povoação, originando o que hoje é a cidade de Luminárias.

Em 1840, Luminárias foi constituída Distrito de Lavras do Funil, sobre a denominação de Carmo das Luminárias. Em 1846 o Distrito foi suprimido pela Lei. N.º288, entretanto em 31/05/1850, foi restaurado como Distrito de Lavras do Funil, pela Lei N.: 472, §4 do Artigo 20.
Em 03 de julho de 1857, através da Lei N.º:805, foi elevado à categoria de Freguesia, com a denominação de Freguesia de Nossa Senhora do Carmo das Luminárias. Em 31/12/1943, desmembrou-se do Município de Lavras e passou a Distrito de Itumirim, pelo Decreto Lei Estadual Nº.:1.058.

Teve sua emancipação política e administrativa através da Lei 336 de 27 de Dezembro de 1948, tendo como Governador o Sr. Milton Soares Campos, que nomeou como Intendente, a quem competia instalar e organizar o município, o Sr. Atanael Moura Maia, no dia 01 de Janeiro de 1949.


Brasão



logo prefeitura

domingo, 4 de janeiro de 2015

Planetário de Brasília é reinaugurado após 16 anos fechado

31/12/2014 - Agência Brasília

Planetário de Brasília é reinaugurado após 16 anos fechado
Planetário de Brasília é reinaugurado após 16 anos fechado
Foto: Mary Leal / Arquivo

BRASÍLIA (31/12/14) - O Planetário de Brasília foi reinaugurado pelo GDF após ficar 16 anos sem funcionar. O monumento passou por uma reforma que implantou tecnologia de ponta ao mesmo tempo em que resgatou parte do antigo projetor.

O antigo equipamento de projeção, o SpaceMaster, foi reformado, e um novo modelo atualizado, o Power Dome VIII, instalado. Atualmente, só existem dois modelos desse aparelho em funcionamento, ambos na Alemanha. Brasília é a primeira cidade do Brasil a ter acesso a essa tecnologia capaz de projeções multidisciplinares imersivas com efeitos tridimensionais.

A nova estrutura do planetário oferece sala de projeção, com capacidade para 108 pessoas e cúpula para exibição das imagens; biblioteca digital equipada com computadores com acesso à internet, e mobiliário adaptado, como cadeiras inclinadas para proporcionar a visualização adequada das projeções, além de três salas para reuniões e área de alimentação.

A estudante Vislaine Passos, 18 anos, celebrou bastante a reabertura do Planetário. Aluna de Engenharia Espacial da Universidade de Brasília (UnB), ela vê no lugar não somente uma opção de lazer, mas também um instrumento para pôr em prática aquilo que aprende na sala de aula. "É um incentivo à curiosidade científica, impulsiona o interesse pelo assunto de diversas maneiras, sobretudo nas crianças", disse.

sábado, 3 de janeiro de 2015

Ilha de Marajó

Existe um mistério sobre a Ilha de Marajó, em função de ali ter florescido a única cultura dita "indígena" que conhecia a escrita. Sem contar nos seus hábitos, arte, e religiosidade, distintos dos demais agrupamentos do Brasil O Triade Tumarã, da Doutrina do Vale do Amanhecer, nos esclarece:
"ATLÂNTIDA - Um verdadeiro continente, situado entre a África e as Américas, desenvolveu elevado nível de civilização, sendo submerso quando essa cultura de afastou das origens e caiu na ambição de ser maior do que a Espiritualidade, achando-se verdadeiros deuses pelo progresso científico que conseguiram obter. De pele avermelhada, migraram para a América do Norte, dando origem aos Índios Peles Vermelhas, formando as raças indígenas do Caribe e da região do Marajó, alcançando os povos do Amazonas e do Roncador."

Capitão Aza

Quem lembra do Capitão Aza ? Está aí um personagem muito vivo e marcante na história da TV, numa época em que ela tinha mais conteúdo. Com certeza um personagem inspirado pela Grande Fraternidade Branca, numa época, que o planeta corria o risco de ser destruído por armas nucleares, como ainda hoje, se não fossem as intervenções de nossos irmãos do espaço. Eu mesmo quando criança sabia que era um personagem, mas também sabia que era sincera a mensagem do nosso querido Capitão Asa. Alô Alô Sumaré, Alô Alô Intelsat !